Press "Enter" to skip to content

8 segredos para saber se o carro que você vai comprar foi batido

Por mais que comprar um carro zero quilômetro seja o sonho de muita gente, nem todos têm as condições financeiras de fazê-lo.

Afinal, um veículo usado sempre sai mais em conta. É o caso até mesmo de veículos populares, que têm preços mais baixos até mesmo quando são comprados novos, como o Hyundai HB20.

Se você optar pelo seminovo, o mais indicado é que você faça a aquisição em uma concessionária. Como se trata de uma pessoa jurídica vendendo uma mercadoria a uma pessoa física, a relação é regulada pelo Código de Defesa do Consumidor. Consequentemente, você tem alguns direitos, como o oferecimento de ao menos 90 dias de garantia. Além disso, você pode acionar o PROCON em caso de problemas.

Já a compra de outra pessoa física é mais arriscada: neste caso, você não conta com o amparo do Código de Defesa do Consumidor. Deste modo, em caso de problemas, terá que procurar o Juizado Especial local, ou, dependendo do valor da causa, a justiça comum.

Um dos maiores riscos de comprar direto com o proprietário é adquirir um veículo que você pensa estar em perfeito estado, mas que já esteve envolvido em um acidente grave. Estes carros costumam ser mais problemáticos, e, consequentemente, perdem de 20 a 30% de seu valor tabelado.

Lembre-se: quando a esmola é muita, o santo desconfia! Se alguém te oferecer um veículo seminovo, como o versátil Chevrolet Onix a um preço bom demais para ser verdade, sinal amarelo! Ele pode ter sido batido, e, o fato, encoberto pelo dono.

Não passe perrengue! Confira estes 8 segredos para saber se o veículo no qual você se interessou foi batido:

 

  1. Cheque se a lataria está assimétrica e/ou enferrujada

Um martelinho de ouro pode chegar perto de fazer milagres para maquiar uma colisão. Contudo, é impossível deixar o carro com o mesmo aspecto que ele tinha ao sair da fábrica.

Pequenos amassados são normais e denunciam apenas que o carro é usado. Entretanto, em caso de colisões laterais, haverá algum nível de assimetria – e, possivelmente, ferrugem – do lado que sofreu o impacto.

Para descobrir, olhe o carro por trás: os dois lados estão simétricos? Se não estiverem, há grandes possibilidades de que o veículo seja batido.

 

  1. Ligue os faróis e observe se estão iguais e simétricos

Quando uma peça do seu carro estraga, você provavelmente só substitui aquilo que não funcionava bem, certo? Quando um carro é batido, a lógica é a mesma: o dono só vai trocar aquilo que foi danificado no impacto.

Ou seja: se apenas uma das lanternas foi atingida, apenas ela será trocada. Consequentemente, poderá haver desalinhos na altura e na intensidade da luz, bem como em sua tonalidade (mais branca ou mais amarelada). Se for o caso, desconfie e pergunte ao vendedor ou proprietário o que aconteceu.

 

  1. Veja se não há uma “folga” entre o para-lamas e o capô

Novamente, saiba que, por melhor que um martelinho de ouro seja, ele não deixará carro nenhum novo em folha após uma colisão séria. No caso de batidas frontais, que danificam totalmente o capô, é possível desamassar ou trocar a tampa.

Contudo, ela nunca voltará a ser o que foi. Consequentemente, haverá uma brecha maior que a normal entre ele e o para-lamas. Se você ver isso em um carro, sinal amarelo! Há uma boa chance de que uma colisão tenha sido ocultada.

 

  1. Verifique se as peças que deveriam ser de fábrica estão seladas

O proprietário ou vendedor afirma que o carro que você está vendo está em tão bom estado que preserva todas as peças de fábrica? Se for o caso, peça para ver o motor.

Se isto for verdade, todas as peças estarão com o devido selo de autenticidade da montadora. Se ele estiver faltando, suspeite: quando uma peça é substituída após uma colisão, há uma boa chance de que a troca foi por uma que não é de fábrica. O que não é um problema, desde que a peças de reposição escolhida seja de qualidade assegurada como as Mobensani, o problema está na afirmação falsa do vendedor.

 

  1. Veja se a pintura não está com texturas distintas em diferentes zonas da lataria

É praticamente impossível que um carro de qualquer marca, em especial o ou o Ford Ka, por ser um carro de pequeno porte, que já tem alguns anos de uso tenha uma lataria perfeitamente pintada. Só que, nestes casos, os proprietários costumam retocar a tinta em todo o veículo. Assim, a textura e o desgaste permanecem uniformes.

Agora, caso você note diferenças grandes de textura entre as peças (como no capô ou próximo ao para-choques), atenção! Pode ser que a região tenha sido afetada por uma colisão e que o carro tenha recebido uma mão extra de tinta apenas naquele local para disfarçar.

Felizmente, é fácil verificar se este é o caso: observe o carro limpo e seco sob o sol. O reflexo da luz denunciará eventuais diferenças de textura.

 

  1. Retire o estepe e verifique indícios de impacto no local

Amassados são reversíveis em praticamente todas as zonas da lataria. Sem um olho atento, os remendos podem até passar inadvertidos.

Agora, quando se trata da área onde fica o estepe, a coisa muda de figura. Quando ela sofre um impacto, é praticamente impossível que um funileiro consiga recriar o seu formato original.

Portanto, pedir para ver a área do pneu reserva é uma maneira fácil e praticamente certeira de conferir se houve colisão. A verificação é simples, mas diz muito sobre o veículo!

 

  1. Cheque se não houve aplicação de massa em alguma região da lataria

Caso você seja realmente criterioso, pode verificar se houve aplicação de massa plástica sob algumas regiões da lataria para disfarçar um amassado. É simples: dê batidinhas na superfície do carro com os nós dos dedos. Se houver diferenças entre o som de uma região e outra, uma delas provavelmente foi preenchida.

 

  1. Faça o carro passar pelo crivo de um funileiro

Você pode seguir todas estas dicas, mas é indiscutível: não há nada melhor que um olho treinado para ver se um carro foi batido ou não.

Se você quiser que um profissional qualificado bata o martelo, peça que um funileiro dê uma olhada no carro – até porque, se o dono ou vendedor não permitir, ele provavelmente tem algo a esconder.

Conhece alguém que está prestes a comprar um carro usado? Compartilhe este conteúdo! Com certeza será útil!

 

#SomosTodosMobensani

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *